IMAGENS DO PORTUGAL PROFUNDO com Aurora Simões de Matos

November 9, 2017

Gabriel e Malhadinho

 

 

Tão pequeno e indefeso

nasceu no monte

à sombra duma giesta em flor

amparado pelo pegureiro

com mãos calejadas só de amor
 

Nasceu da "Malhada"

que, balindo, toda dor

confiou sem reservas o seu filho

ao generoso pegureiro

de mãos calejadas só de amor
 

Um tufo de fentos e erva seca

ao lado duma torga abandonada

foi seu primeiro ninho de calor

no aconchego da primeira mamada
 

E quando ao fim da tarde conheceu

os caminhos que iam dar ao lar

sentiu o abraço enternecedor

que o levava ao peito

muito ao jeito

do bondoso pegureiro

com mãos calejadas só de amor

 

 

Cresceu o «Malhadinho»

Já sabe andar sozinho

e não precisa da ajuda de ninguém

nem mesmo do úbere de sua mãe

 

Mas, quando calha, dia madrugado

a vez de abrir a porta ao gado

a vez de fazer sua vigia

ao amigo pegureiro

de mãos calejadas só de amor

há sempre um olhar terno de alegria

e um balido de bom entendedor.
 

( uso de regionalismos do Montemuro)

 

(Texto de Aurora Simões de Matos
Fotos de Armando Jorge)

 

Please reload

Visitantes
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now