Pastor da serra da estrela

Não posso dissociar estas imagens a este poema dedicado ao pastor, de um grande nome da escrita poética portuguesa Aurora Simões de Matos " Dá-me tudo o que te peço " Dá-me a água do cantil que trazes a tiracolo... Dá-me a bucha do bornal e não me leves a mal que te peça para mim o burel e o cotim desse modo de vestir com que passeias o monte por longos dias sem fim... Dá-me a flauta de cana e a música com que enfeitas as horas mortas que deitas nesse chão que não te engana... Dá-me o sol e dá-me a chuva do tempo agreste em teu rosto, dá-me manhãs de frescura e trindades ao sol posto... Dá-me teus vãos pensamentos sem destino, vagabundos, e dá-me o silvo dos ventos e a sombra dos vales profundos... Dá-me o teu tempo sem fim, que o quero para mim, e se puderes, dá-me os mundos que trazes nos sentimentos... Dá-me tudo o que te peço e mesmo o que te não peço mas ainda pra dar tens quando vais e quando vens por todos esses caminhos de lendários carreirinhos que se perdem na memória e a serra esconde em seu rosto e tu percorres por gosto dessa vida re...pe...ti...da... de gestos gastos......sem história. ***** Aurora Simões de Matos

13 visualizações
Visitantes
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now